no ar desde 1998

 

Cães de guarda

 


Para a grande maioria das pessoas, os cães são animais capazes de defender seu território, ou de defender seus donos por definição.  Mas será mesmo que isso é totalmente verdadeiro?

Como este, existem ainda muitos outros mitos envolvendo a atividade de guarda.  A maioria deles é baseada em afirmações falsas; muitas vezes não passam de suposições, ou até mesmo de superstições, pouco tendo de conhecimento de comportamento canino e de bom senso.   

Vamos analisar algumas destas afirmações:

Qualquer cão pode ser ensinado a fazer guarda.

Isso está longe de ser verdade. É verdade que qualquer SRD é capaz de guardar uma casa. O problema acontece com os cães de raça. Todas as raças são desenvolvidas a partir da seleção genética de cães com determinadas características, consideradas mais desejáveis para determinada atividade. Então achamos cães de caça com um olfato muito mais apurado do que nos cães de companhia, por exemplo. Os cães de companhia, por sua vez, são mais delicados, menos desajeitados, que os de caça.  E assim por diante. Com isso, desenvolveu-se cães  com características instintivas diferentes. Portanto, para termos um cão de guarda precisamos escolher cães com características próprias para a guarda. 

É possível ensinar um cão a fazer guarda?

Não. O que se pode fazer é aperfeiçoar a atividade dos cães de raça própria para guarda. Não é possível ensinar um labrador, por exemplo, a guardar uma casa.  Ele pode até aprender a “copiar” o cachorro do vizinho, e latir quando algum estranho passa na rua, mas jamais saberá o que fazer se tal estranho invadir a sua casa.  Ele não tem o instinto próprio para isso.  Não o foi feito para isso!  Ele foi feito para ajudar o homem em suas caçadas, trazendo a presa abatida.

Meu pastor alemão tem 5 meses e não faz guarda. Isso é Normal?

É absolutamente  normal, e esperado. Um cão de 5 meses é um filhote, e está longe da idade de começar a demonstrar sinais de agressividade.

O cão de guarda só começará a desenvolver sua agressividade, e sentido de territorialidade, quando estiver se tornando adulto. Nos cães de porte grande isso começa a acontecerá somente depois que o cão fizer 2 anos. Nesta época há uma grande mudança no temperamento do cão, fazendo com que ele fique mais bravo. É nesta época, também, que o proprietário, mais do que nunca, precisa reforçar sua Liderança sobre o cão.

É importante que o cão de guarda seja agressivo?

Não! O cão de guarda deve ser agressivo somente ao atacar um intruso, ou agressor. Porém no seu dia-a-dia é desejável que ele seja o mais calmo e estável possível. Desta forma teremos uma casa devidamente guardada, sem, no entanto, que precisemos colocar qualquer pessoa em risco.

Se você considerar que a capacidade que um cão tem de atacar um estranho for semelhante à posse de uma arma de fogo, quem você acharia que seria o melhor portador deste revólver: uma pessoa super agressiva, que a qualquer provocação reage de forma exagerada; ou uma pessoa sensata e de temperamento estável???  Não é difícil responder: é evidente que a pessoa sensata e de temperamento estável é a melhor opção.  Com os cães a coisa funciona do mesmo jeito:  um cão muito agressivo jamais será capaz de avaliar se uma situação é de fato perigosa ou não, pois para ele qualquer situação desencadeia uma atitude agressiva.  No entanto se tivermos um cão calmo, obediente e de bom temperamento, teremos uma guarda muito mais efetiva, diminuindo muito o risco de acidentes desagradáveis.

Latir, ou não latir? Eis a questão! É verdade que cão que ladra não morde?

Dog13.jpg (4043 bytes)Não existe nenhum teste aprovando qual é o melhor cão de guarda: aquele que late, ou aquele que não late.  Com certeza, porém, a frase popular que “cão que ladra não morde” não passa de lenda. Um cão pode atacar alguém independente de latir ou não.

Não existe uma receita do sucesso entre latir ou não latir, o que acontece é a característica própria de cada raça, e a preferência, dentro deste conceito, de cada um.  Se o proprietário acredita que é melhor um cão que lata muito, pois desestimula os ladrões que estejam na vizinhança, o melhor é optar por um pastor alemão, ou um dobermann, por exemplo.  Já existem outros proprietário que acreditam que bom é o cão que não late, e pega o ladrão “no pulo”.  Para tal proprietário o rottweiller, ou um akita podem ser uma opções melhores. 

Aqui vai do gosto de cada um.

Quais as características principais para um cão de guarda ser o mais eficiente possível?

O bom cão de guarda deve ser obediente, calmo, seguro, sociável e valente.  Tais características só contribuirão para que ele tenha um bom discernimento quanto ao real perigo, ou não de uma situação. 

Um cão que ataca às cegas é um cão destemperado, e não um cão de guarda. Como o nome já diz, ele deve “guardar”, isto é zelar, cuidar, muito bem de seu território, dos membros de sua matilha, e outros membros agregados.  Um cão que ataca qualquer um está simplesmente atacando, nada mais.  Isto não é fazer guarda.

Alimentar o cão só com carne crua irá fazer com que ele mais agressivo?

Mais uma daquelas lendas bastante populares, mas que ninguém sabe onde nasceu.  Não há qualquer base científica para tal afirmação.

Meu cão dorme à noite, isso não atrapalha a função de guardar a casa?

Sem dúvida, alguns cães têm sono bastante profundo, o que pode atrapalhar bastante a guarda.  É possível, no entanto resolver este problema: o importante é alimentar o cão em hora bastante distante daquela em que se quer o cão em atividade.  Portanto se você quer que seu cão fique mais esperto à noite, alimente-o na hora do almoço.  Com isso ele poderá tirar aquela  gostosa soneca após comer, sem atrapalhar sua “hora de trabalho”. 

É necessário que um cão de guarda seja adestrado para fazer ataque e defesa?

Cães de empresas de segurança, ou da Polícia, ou ainda do Exército, têm que passar por tal adestramento. Porém quando tratamos de cães domésticos tal adestramento é perfeitamente dispensável. Várias são as razões para evitarmos tal adestramento, algumas delas eu descrevo abaixo. 

  • Raros são os profissionais realmente aptos para fazer tal adestramento. Muitos dizem que fizeram cursos na polícia, mas na maioria são  curiosos, que fazem qualquer coisa para ganhar dinheiro.

  • Os métodos usados nesse tipo de adestramento são baseados no estímulo negativo, onde os cães aprendem pelo medo e pela violência.

  • Raramente os donos participam destes treinamentos, e muitas vezes não sabem como lidar com tal cão, passando muitas vezes a temer o próprio  cão.

  • O cão de guarda nasce com esse instinto próprio.  Assim que ele tiver maturidade, começará a guardar a casa, sem que ninguém tenha que ensiná-lo.

Se, no entanto você acredita que de fato necessita de um cão com tal treinamento o melhor é comprar um cão adulto já adestrado pela escola do Exército, ou da Polícia.  Ou levar o seu cão à escolinha de um destas instituições, para fazer um treinamento sério.

Como treinar meu cão a não comer comida da mão de outra pessoa? Isso é importante?

Este treinamento é feito da seguinte forma:  pega-se um bolinho de carne, que tenha sido manipulado por alguém desconhecido do cão, e liga-se nele 2 eletrodos, conectados a um aparelho próprio para este tipo de treinamento. Quando o cão encosta o focinho nesta carne, leva um pequeno choque, obrigando-o a soltá-la. Depois coloca-se perto do cão um bolinho de carne manipulada pelo dono, e esta carne pode ser comida pelo cão, pois não lhe causa desconforto algum. A idéia não é machucar o cão, e sim fazer com que ele associe a carne com o cheiro desconhecido com um desconforto.

Raramente, porém, este treinamento é bem sucedido.  Isso se dá não pela inabilidade do treinador, e sim por estarmos tentando treinar um cão a fazer o oposto ao que seu instinto manda: alimentar-se. Não são raros os relatos de cães que tentam burlar o treinamento: cães que percebem quando há, ou não, os tais fios, comendo a carne com o cheiro estranho sempre não vêem os fios; outros ainda que aceitam o choque, e vão puxando a carne devagarzinho, até que ela se solte dos fios, e eles possam comê-la.

Meu filhote tem 2 meses e morde tudo o que vê pela frente.Isso é sinal de agressividade?

Isso não é agressividade.  Filhotes mordem tudo mesmo!  A matéria “Filhotes - Porque eles mordem?” explica com mais detalhes porque isso acontece, e como resolver o problema.

Como educar bem um cão de guarda?

Não exija de um filhote que ele tenha um comportamento de um cão adulto. Deixe que ele possa viver sua infância e adolescência normalmente.  Deixe que ele brinque e se desenvolva à vontade. São essas brincadeiras que irão prepará-lo para a vida adulta. Tome cuidado para não estimular a agressividade nele, com o tempo ele irá demonstrar suas habilidades como cão de guarda, sem que você precise estimulá-lo a isso.

Procure, também, não confundir agressividade com valentia. Muitas vezes um filhote muito agressivo esconde um cão medroso, que se bem trabalhado pode ser um bom guarda quando ficar adulto.

Trabalhe muito bem a obediência deste cão. Quanto mais obediente ele for, melhor guarda ele será. Cuide para que ele seja devidamente socializado, principalmente com crianças. Seja um líder presente. Faça com que seu cão confie em você e na sua capacidade de avaliar as situações, do contrário quem tomará as decisões de quando atacar, ou não, será ele.

Boa sorte!

Maíce Costa Carvalho, adestradora
maice@dogtimes.com.br

 

   

Leia mais sobre o assunto:

- A Importância da Liderança
- Agressividade e Valentia
- Cães que latem demais
- Dúvidas sobre comportamento. Meu cão é normal?
- Socialização de cães

Leia também: Manual do Filhote - tudo o que você precisa saber para educar bem o seu filhote.

Fale com a Gente

 
  Compartilhe
o Dogtimes
 

 

 


Voltar ao topo da página


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.