no ar desde 1998

 

Cães de Salvamento


Os cães de salvamento são utilizados sempre que se registram incidentes importantes. Graças às suas numerosas e eficazes intervenções, contam-se às centenas os sobreviventes libertados e salvos pelos cães de resgate.

 


sark91.jpg (10526 bytes)

Os cães de salvamento foram utilizados pela primeira vez na Grã-Bretanha, durante a Segunda Guerra Mundial. Estavam encarregados de localizar as pessoas soterradas por escombros dos edifícios. A sua eficácia foi tão grande que nos anos cinquenta, começaram a ser criadas escolas para formação de cães de salvamento, não só na Inglaterra, como também nos Estados Unidos, Alemanha e Suíça.

As operações de socorro em que os cães intervêm são numerosas, pois a cada ano são registrados um milhão de abalos sísmicos em todo o mundo e aos terremotos acrescentem-se os desabamentos, incêncios, explosões, acidentes em obras de construção, minas ou edifícios.

Detectores de odores de quatro patas

Greece11.jpg (16678 bytes)Pela sua mobilidade e faro, o cão treinado para a busca e salvamento de vítimas complementa o trabalho dos aparelhos de detecção eletrônicos, e muitas vezes, supera-os.

Segundo estudos realizados na Alemanha há alguns anos, eram necessários 20 homens trabalhando durante uma hora para localizar uma pessoa soterrada em grande profundidade. A utilização dos aparelhos geófonos do tipo Capson reduziu consideravelmente esse prazo. No entanto, os aparelhos apenas captam e amplificam os chamados, gemidos ou o bater do coração de vítimas conscientes, enquanto que o cão, graças ao seu olfato priveligiado, pode localizar pessoas mortas ou vivas em meio à fumaça ou ao ruido e mesmo na mais completa escuridão.

As reações do cão também indicam se devem ou não ser ativados os socorros. Na realidade, no cão treinado, as reações serão mais vivas se ele descobrir um sobrevivente cujo odor corporal conseguiu captar. Neste caso, começa a latir com entusiasmo. Segundo o treinamento que ele recebe, o cão não deve começar a remexer os escombros para não se ferir ou ferir a vítima a não ser que seja ordenado que assim deva proceder. Ao contrário, os odores de pessoas mortas 'espantam' o cão que então se limita a indicar o local em que se encotra o corpo. Muitas vezes é ensinado a uivar outras a simplesmente apontar o local sem se mexer.

Para realizar as tarefas de resgate os cães têm pouco tempo. Uma operação complexa pode levar no máximo 12 dias. Depois desse período considera-se que nenhum ser humano poderia ter chances de sobreviver. No terremoto que abalou o México, para que os cães mantivessem seu aproveitamente sempre em níveis máximos, eles eram colocados para trabalhar em lugares diferentes por 4 horas diárias, em turnos de meia hora.

shasta3.jpg (29323 bytes)Qualquer cão - exceto os molossos pesados e os pequenos - pode transformar-se em um cão de resgate. A raça pouco importa, o que conta é a eficácia. No entanto, apesar disso, a raça mais usada para o resgate é, ainda, o pastor alemão, embora cada vez mais sejam adotadas outras raças, como o Pastor Belga, o Boxer, o Dobermann, Labrador, Rottweiler entre tantas outras. A principal característica desejável num cão de resgate é que eles sejam treinados com o maior rigor possível e que realmente GOSTEM de pessoas.

Os primeiros passos para esse treinamento é feito, normalmente, em centros de formação e treinamento especializados. O treinamento intensivo ocorre em pedreiras abandonadas ou antigas minas devidamente preparadas para este objetivo. Nestes locais são reproduzidas as situações que os cães enfrentarão no futuro para que possam se acostumar e saber como se locomover em segurança. Nenhuma situação é deixada de lado: vigas instáveis, obstáculos cortantes, material rolante ou com molas, desabamento de lama, casas incendiadas.

gr9916.jpg (22538 bytes)No treinamento procura-se considerar todas as situações difíceis e que podem perturbar os hábitos dos cães e que dificultrem sua capacidade de busca, incluindo aparelhos ruidosos, sirenes, grande movimentação de pessoas, gritos, fumaça, gases e, além disso, exercícios noturnos. Nestes exercícios, os voluntários se escondem por baixo dos mais diversos materiais, ou entre montes de tubos. Mais difícil ainda é, para o cão, o exercício em que tem que desenterrar vítimas soterradas, porque a camada de terra ou lama detém o odor da vítima e dificulta a ação do cão. Outra modalidade de exercício envolve a utilização de geladeiras repletas de carne para comprovar as reações do cão que não deverá ceder à tentação, pois sua função é a de 'salvar' pessoas e não promover 'saques'.

Outros exercícios muito duros, tanto para o cão quanto para o homem, são a descida em rappel por uma parede alta e a passagem de uma parede para outra. O cão tanto pode ir nos ombros do dono quanto preso por um arreio para facilitar o transporte. O helicóptero torna-se necessário, às vezes, para levar as equipes de resgate ou recuperá-las após uma busca em locais inacessíveis. Neste caso, homem e cão são transportados suspensos no aparelho por um cabo de aço.

italy.jpg (17763 bytes)Para que o cão seja motivado para a busca, o dono deve sempre animá-lo e parabenizá-lo após o trabalho concluído e em qualquer circinstância. Normalmente as duplas são formadas por um cão e um condutor e não devem ser desfeitas, porque o cão não vai trabalhar com a mesma eficiência com uma pessoa desconhecida. Porque, por mais treinado que o cão seja, o fator determinante para o seu bom desempenho é, como sempre, a vontade de agradar ao dono.

Os cães são treinados progressivamente e vão adquirindo certificados de eficiência para buscas em locais específicos. Inicialmente os cães recebem a permissão de participar de missões de busca e salvamento de pessoas perdidas em florestas, passando para treinamento em resgate de vítimas em avalanches, busca urbana e, finalmente, aquática. Cada um desses certificados tem ainda 2 níveis de dificuldade.

Para saber mais sobre a atuação dos cães de busca e salvamento...

The National Search and Rescue Dog Association

International Rescue Dog Organisation

Swiss Disaster Dog Association

Fonte: Coleção Nossos Amigos, os Cães

 

   

Veja como praticar sua liderança e ensinar ao seu cão o que você quer dele, lendo as matérias sobre adestramento:

- senta
- deita
- vem ou aqui
- não pula
- não morder
- andando junto

Leia também: Manual do Filhote - tudo o que você precisa saber para educar bem o seu filhote.

Fale com a Gente

 
  Compartilhe
o Dogtimes
 

 

 


Voltar ao topo da página


  © COPYRIGHT M&M Arte Soluções Web  LTDA 1997-2014
Este site, suas fotos e textos, tem seus direitos autorais protegidos por lei.
É proibida sua reprodução parcial ou total sem autorização expressa e por escrito.