Personalidade Problemas comuns √† ra√ßa Sobre o Basenji O Filhote Padr√£o  
 

 

A origem do Basenji √© bastante nebulosa. Sabe-se que origina-se na regi√£o do leste africano, onde foram descobertos pelos eg√≠pcios, que, depois de adot√°-lo, chegaram at√© a transformar os Basenjis em c√£es sagrados, uma vez que acreditavam que os c√£es acompanhavam os mortos ao Al√©m. Tal foi a identifica√ß√£o da ra√ßa com os eg√≠pcios, que, durante muito tempo eram conhecidos como "c√£o de Keops", nome do fara√≥ que mandou construir a primeira pir√Ęmide de Giz√©.

Foi apenas em 1870 que a ra√ßa foi ¬īdescoberta¬ī, desta vez pelos colonos ingleses que chegaram √† regi√£o do Congo e travaram conhecimento com esses c√£es que eram utilizados pela popula√ß√£o local na ca√ßa. Encantados com os exemplares que viram, os ingleses exportaram alguns exemplares para a Inglaterra em 1895. Infelizmente esses exemplares morreram por uma virose, assim como os que foram exportados em 1923. A ra√ßa s√≥ conseguiu fixar-se na Gr√£-Bretanha em 1937 e nos Estados Unidos em 1941.

No Brasil o Basenji ainda é muito pouco conhecido e existem poucos criadores que investem na raça, cuja particularidade é o fato de que não latem, mas emitem diversos sons, que alguns descrevem como choros de crianças, outros como cantos ou risadas.

 


Personalidade

O Basenji √© considerado um c√£o de personalidade ¬īfelina¬ī, porque, al√©m de n√£o latir, ainda apresenta o costume de se lamber como os gatos. √Č um c√£o de temperamento forte e que requer um dono experiente.

Normalmente travessos e bastante teimosos, os Basenjis precisam conhecer seus limites bem claramente, por isso, quanto mais experiente for o dono, melhor ser√° a conviv√™ncia com o c√£o. Segundo os amantes da ra√ßa, essa ¬īteimosia¬ī √© fruto de sua fun√ß√£o original, de c√£o de ca√ßa, em que deve ca√ßar praticamente sozinho e, por isso, tomar decis√Ķes sem ¬īconsultar¬ī seu dono. O Basenji √© o pen√ļltimo colocado no ranking de intelig√™ncia para o trabalho elaborado por Stanley Coren - veja em A Intelig√™ncia dos C√£es. Seus resultados podem ser explicados pela dificuldade "natural" que tem em aceitar ordens de estranhos. Por isso, recomenda-se que desde cedo o pr√≥prio dono invista algumas hora na educa√ß√£o de seu c√£o.

Muito exclusivista, não costuma aceitar bem a idéia de dividir a atenção de seu dono com outro cão. Igualmente não se trata de um cão que possa ser deixado por longos períodos sozinho.

Apesar de ser um c√£o de pequeno/m√©dio porte, possui m√ļsculos fortes e longos, o que lhes d√° uma incr√≠vel velocidade. Tamb√©m a forma com que se movimentam faz com que este c√£o gaste um m√≠nimo de energia e f√īlego necess√°rio.  Desta forma eles percorrem dist√Ęncias incr√≠veis rapidamente e sem demonstrar cansa√ßo. Por essas caracter√≠sticas, participam com sucesso de corridas de cachorros, muito parecidas com as corridas de Greyhound.

Não é um cão indicado para apartamentos, porque, apesar de seu tamanho, é um cão cheio de energia e precisa de espaço para se exercitar.


O Filhote

Ao contr√°rio da maioria dos c√£es, o Basenji n√£o √© totalmente ‚Äúdomesticado‚ÄĚ, sendo considerado um c√£o do ¬ītipo primitivo¬ī. Essa qualidade faz com que ele seja mais vulner√°vel aos apelos dos seus instintos do que √†s vontades de seu propriet√°rio. Por esta raz√£o os filhotes devem ser socializados e manuseados, desde cedo, por crian√ßas e pessoas cuidadosas. √Č preciso ter especial cuidado com esta ra√ßa para n√£o maltrat√°-la ou assust√°-la, pois eles t√™m excelente mem√≥ria e n√£o costumam ¬īesquecer¬ī daqueles que os tratam sem delicadeza. √Č preciso trat√°-los de forma firme, mas com muito respeito e justi√ßa.

Os filhotes s√£o muito espertos e aprendem muito rapidamente, o que n√£o quer dizer que sejam ¬īobedientes¬ī... √Č fundamental que o propriet√°rio saiba se fazer obedecer, impor-se com carinho e m√£o firme, acostumando-o desde cedo, e passar pelos "testes" de lideran√ßa. A educa√ß√£o precoce e a socializa√ß√£o, s√£o fundamentais que ele n√£o desenvolva comportamentos agressivos e que respeite o propriet√°rio como l√≠der da matilha, evitando problemas na fase adulta.

Se n√£o forem acostumados desde pequenos estes c√£ezinhos podem se tornar bastante agressivos com outros c√£es.


Pelagem

O Basenji possui pelagem curta e lisa e pode ser bicolor ou tricolor. No caso dos bicolores, pode ser preto e branco ou avel√£ e branco. No caso dos tricolores, deve ser preto, avel√£ e branco. A cor branca dever√° estar sempre presente nos p√©s, no peito e na ponta do rabo, sendo que um colar branco, as patas brancas e uma listra branca na cara s√£o opcionais. No padr√£o americano da ra√ßa √© aceita a marca√ß√£o tigrada.


Problemas comuns à raça

Apesar de ser um c√£o bem r√ļstico e resistente, o Basenji apresenta alguma tend√™ncia para desenvolver alguns problemas de sa√ļde.

  • Displasia coxo-femural

  • Problemas heredit√°rios de vis√£o

  • S√≠ndrome de Fancone - dist√ļrbio que afeta a capacidade renal. Os sintomas s√£o: excesso de consumo de √°gua e produ√ß√£o excessiva de urina, com forte presen√ßa de glicose. Caso n√£o seja tratada, pode levar o c√£o √† morte.



.


Fale com a Gente